segunda-feira, 13 de abril de 2009

Indagações

..Se eu fosse formada em uma outra profissão ??????.
..Se eu fosse e casada ..?????????
..Se eu tivesse tido um filho mesmo não casando ????????
..Se eu morasse em outra cidade ???? em outro estado ????


Eu tenho tantas indagações ...

9 comentários:

Lisa Nunes disse...

...se você não fosse essa pessoa tão DOCE, MEIGA, AMÁVEL,SENSÍVEL, QUERIDA,INTELIGENTE,COMPREENSIVA E AMIGA que você é.. o que serias?

Mônica disse...

Andrea
Voce é do jeitinho que eu quero que seja, nem de mais nem de menos.
Voce é mil e dez.
Com amor Monica

Lisa Nunes disse...

Andrea, repliquei este POST do Blog da Valéria Martins, lindo demais. Um abraço,

NUNCA É TARDE
Às vezes, fico com medo de envelhecer e não conseguir realizar tantas coisas que ainda quero. Mas vejo a minha volta tantas amigas mais velhas realizando coisas incríveis e concluo que nunca é tarde para viver e ser feliz.

Por isso, resolvi publicar depoimento da Heloisa Sérvulo, do Blog da Vovó, mas não só. Ela escreveu sobre Algo que aprendi na vida, mas só vi depois de encerrada a "promoção". Veja que lindo:

Aprendi, na vida, que “nunca é tarde para novas conquistas”.
Casei com 29 anos, numa época em que as jovens costumavam casar-se entre os 18 e 25 anos.
Tarde? Não foi. Deu tempo para ter e criar dois filhos.
Prestei vestibular concorrido, quando já tinha meus dois filhos. Aprovada, enfrentei o desafio dos cinco anos da faculdade.
Tarde para estudar? Não. Dediquei-me seriamente aos estudos, mantendo a mesma dedicação aos filhos e à casa.
Formada, parti para novo desafio: concurso público na minha área. Dos cinco candidatos aprovados, eu era a mais velha.
Tarde para iniciar carreira? De jeito nenhum. Trabalho envolvente, que até me permitiu conhecer meu 2º marido, num congresso do qual participamos.
Tarde para relacionamento sério? O tempo provou que não.
Depois de alguns anos de carreira estável, mas já sem entusiasmo, novo desafio. Juntei força e coragem para outro concurso público, ainda dentro da minha área, mas em outra atividade e instância. Concurso de extrema dificuldade e muita competitividade. Depois da maratona extenuante das várias provas, minha nova conquista: estava entre os 17 aprovados. Quase todos muito jovens. E eu, já tendo, na época, ultrapassado meio século de vida, estava iniciando nova carreira.
Tarde para isso? Não, nunca!

Andrea disse...

obrigada Lisa e Monica ..lindo o post da Valéria eu já timha lido antes ,ams foi òtimo reler

mar e ilha disse...

Querida, a vida não é feita de se.E digo sempre que temos que ver nossas conquistas e valorizá-las pois elas são muitas, com certeza. E, nunca se compare a ninguém, a não ser a você mesma. Vc é demais, como todas já disseram e lembre-se sempre que vocÊ é a pessoa mais importante da minha vida e quem mais amo, sem nenhuma culpa. Te amo .

Mônica disse...

Andrea
Eu não tinha lido esta história da Valeria.
Mas lembrei do que mamae conta sempre. Tia Bebete e uma amiga de escola foram fazer concurso. No dia da prova tia Bebete já saindo para o concurso vê a colega desanimada e pergunta o qie estava acontecendo. A amiga responde que tinha saido de Araxá , sendo a primeira no curso todo de magistério e que não iria porque tinha receio de não ser a primeira.
Tia Bebete respondeu que não importava o lugar que tirasse no concurso, o importante era competir. Foi, fez a prova e passou. E a amiga apesar de ser a primeira na escola foi simplesmente uma professora de 1a a 4a série.Por que não enfrentou.
Serve de exemplo até hoje para nós.Assim como a moça da história.
Com amizade Monica

Angela disse...

Olá Andréa,
Desculpe-me a invasão mas, li seu recado pra Keli do blog:pano, linha e agulha e vim te conhecer melhor. Vi que vc gosta de fazer amigos e gostaria mto de ser sua amiga, sou paulistana, divorciada, tenho uma filha, um pai e um cachorro, graças a Deus!
Se desejar bater um papinho e trocar idéias visite meu blog, tá?
Abraço,
Angela
PS: Fui visitar o blog da sua irmã Mônica tbm através do blog da querida Keli.

Heloísa disse...

Andréa,
Sempre temos esse tipo de indagações.
E seu eu tivesse feito isso, e não aquilo?
O importante é tentar fazer aquilo que nos atrai, sem achar que o tempo já passou, e que agora não dá mais.
Eu sou a pessoa que escreveu o texto publicado pela Valéria, a que sua comentarista Lisa está se referindo.
Realmente, a vida me ensinou que nunca é tarde para novas conquistas.
beijo

Angela disse...

Olá,
Se vc tivesse outra profissão, se tivesse se casado, se tivesse tido um filho solteira..., talvez teria indagações tbm. Quando estamos insatisfeitas com algo começamos a nos questionar de várias maneiras, td isso é proveniente de amadurecimento e crescimento emocional. Sempre há tempo pra mudar,(plagiando Ivan Lins) começar de novo vai valer a pena!
Você é mto jovem e bastante inteligente pra saber que só vc pode mudar sua vida.
Conte comigo,1, 2, 3, rsrsrs! é sério, pode contar mesmo.
Bjs,
Angela