quarta-feira, 13 de maio de 2009

Nos bailes da vida


"Foi nos bailes da vida ou num bar
Em troca de pão
Que muita gente boa pôs o pé na profissão
De tocar um instrumento e de cantar
Não importando se quem pagou quis ouvir
Foi assim

Cantar era buscar o caminho
Que vai dar no sol
Tenho comigo as lembranças do que eu era
Para cantar nada era longe tudo tão bom
Até a estrada de terra na boléia de caminhão
Era assim

Com a roupa encharcada e a alma
Repleta de chão
Todo artista tem de ir aonde o povo está
Se for assim, assim será
Cantando me disfarço e não me canso
de viver nem de cantar "

Hoje me veio essa música na lembrança e com ela tantas coisas , quando eu era adolescente amava essa música.
Eu estava recordando de um show que fomos em BH na inauguração do estacionamento do Mineirinho ,(de graça )e um dos cantores seria o Milton Nascimento .Foi o primeiro show que fui na minha vida .. Fomos Marília e eu com uns amigos colegas dela de teatro .O mais velho do grupo deveria ter 17 anos . O Show estava ótimo ,mas foi um confusão danada na hora de voltar ,pois fomos de ônibus e quem disse que conseguíamos entrar em um para sair dali .A maioria das pessoas que estavam no show tentavam fazer o mesmo .
Só sei que tivemos a idéia de pegar qualquer ônibus , só pra sair daquela bagunça e depois pegaríamos um taxi .Graças a Deus chegamos bem em casa .
Naquela época nao existia celular e podíamos ir de ônibus para Pampulha de noite ...que maravilha !!!!

" Tenho comigo as lembranças do que eu era
Para cantar nada era longe tudo tão bom
Até a estrada de terra na boléia de caminhão
Era assim "

4 comentários:

Mônica disse...

Andrea
Adoro ver que aproveitou muito bem o tempo que morou aqui, quando estudava.
A minha diversão não era show. Era cinema e comer pitzza com Marluce e Antonieta.
Tudo passa , mas fica o sabor do tempo que continua delicioso.
Com amor Monica

Lisa Nunes disse...

Linda música,
saudoso post.
tudo que vivemos hoje,
reflete o que fomos e
vivemos lá atrás.
As tuas lembranças são
sempre docês e cheias de
alegria. Assim como você.
Um grande abraço

mar e ilha disse...

Ándréa,
foi tão engraçado aquele show:cai no buraco, levei garrafada, tivemos que arrumar qq Õnibus para ir para casa, mas no final deu tudo certo e agora podemos rir daquele momento. Hoje isso não seria possível, o tempo mudou muito.... A realidade de hoje é completamente diferente... Ah, mas eu acho que o Milton Nascimento estava lá sim no show... Será? Só lembro da farra.

Aline Gouvea disse...

Tenho certeza absoluta de que em outra vida já fui íntima do Milton Nascimento, talvez até tenha sido meu parceiro amoroso. Isso é só pra vc ter ideia do amor que sinto por esse cara. Obrigada por me proporcionar ler este post.