terça-feira, 22 de setembro de 2009

Primavera/Rodrigo

Primavera me lembra meu amigo Rodrigo ,que não esta mais aqui nesse mundo .
O aniversário dele era no inicio da primavera e D.Anita fazia cada festa mais bacana que a outra .Os bolos eram maravilhosos ,super diferentes .Lembro que teve uma festa que o bolo era um trem e os vagões cheios de chocolates e confetes .Isso era super diferente na minha época de criança .
Marília ,Ana Cristina,Rodrigo e eu éramos inseparáveis .Tinha outros meninos também ,Fabinho, Jefersom ,mas não sei o motivo o que mais ia lá em casa era ele ,Acho que era porque nossa casa era perto .
Ele adorava brincar com seu Falcão eu achava lindo esse boneco e pensava que quando tivesse um filho ele teria um boneco desse .Não tive filho e na época dos meus sobrinhos esse brinquedo já era raridade .
Alguns anos atrás fui na cidade em que morávamos e fui visitar sua mãe que nos tratava tão bem .Ela ficou tão feliz !!
Não tem como ,mas primavera para mim é sinonimo de meu amigo Rodrigo .

13 comentários:

Lisa Nunes disse...

Sempre digo que o nosso maior album de fotografias é a nossa memória, a quem carregamos todos os dias e está sempre conosco, seja no dia a dia, seja em sonho.
Os momentos bons que vivemos ao lado das pessoas que amamos são eternos e é isso que faz a vida valer a pena. Um Grande abraço pra você

dona perfeitinha disse...

Oi, Andrea,

E é assim mesmo... tem coisas que marcam outras e enquanto primavera é sinônimo de Rodrigo pra você, primavera pra mim é sinônimo de Campos do Jordão porque a única vez que fui lá era primavera e a cidade era flores pra todos os lados. Me marcou bastante.

Quanto à retirada do visto, é mesmo um absurdo. Eu nunca precisei tentar, mas tive amigos que passaram vários constrangimentos. Eles acham que todo mundo é terrorista ou quer morar ilegalmente nos EUA, mas são nós turistas que movimentamos a economia deles.

Um beijo,
Talita.

Mônica disse...

Andrea
Eu lembro do Rodrigo nas suas festas de aniversário.
Primaver para mim é a epoca mais bonita do ano9, porque adoro ver arvores. Ipes principalmente.
Com carinho Monica

Elisa no blog disse...

O amigo Rodrigo morreu ainda criança?
Que bolos criativos. De que mais tinha?
Agora que começa a primavera aí, aqui começa o outono. Os dias já não estão tão quentes.
bj

Maria Souza disse...

Oi amiga

Gostei de passear no seu blog.
Parabéns, pois o que fica na nossa memória são os momentos que nós queremos relembrar e aí sim vale a pena recordar.
Um abraço de Portugal
Maria

Andrea disse...

Elisa ,
O Rodrigo não morreu na nossa infancia ,Ele se foi com uns 19 anos ,eu já estava na faculdade e a gente já naõ tinha mais contato ,mas qdo fiquei sabendo da sua morte fiquei realmente muito triste .Ele fazia veterinaria e morreu em um acidente de carro .
O bolo que eu mais lembro era esse .Mas recordo de outras coisas diferentes da casa dele . Televisão a cores que naquela época quase ninguem tinha .
Não sei se a Marilia vai lembrar desse aniversário mas eu se fechar os olhos me vejo lá no quintal cantando os parabéns e maravilhada com aquele bolo de trenzinho cheio de chocolates .,,Nossa recordar é viver !!!!

mar e ilha disse...

Andréa, lembro muito dos aniversarios dele. ESte do trenzinho, a mesa foi posta fora da casa. Lembro demais. E as únicas mulheres éramos eu, vc e Ana Cristina.
O falcão era um luxo. E o pai dele nos chamando de florzinhas de maracuja doce?! Achava uma gracinha e anos depois descobri que a flor do maracuja e pintadinha assim como nós somos. Que maneira carinhosa o pai dele nos apelidou...

Elisa no blog disse...

Oi,
Estou tentando relembrar tudo de interessante que eu vi em NY. Depois escrevo. Queria saber quando vcs vão viajar para poder dar as dicas antes.
bj

Valéria Martins disse...

Que bom que a primavera e as flores lhe fazem lembrar este amigo. Ele devia ser mesmo muito especial.

A primavera é a estação do ano que eu mais gosto. Tudo renasce, revive e se ilumina. Viva, viva!

Natália de Azevedo disse...

andrea, recebi sua resposta. meu pai ficou muito feliz e retribui o abraço do renato. ele pediu, se for possível, que voces enviem uma foto do Apolo, pois ele nao tem nenhuma. ele lembrou, também, que acha que minha avó dizia que um dos seus irmãos faz aniversário junto com ele, no dia 10/05. é verdade? obrigada pelo retorno.
um abraço a todos.

Elisa no blog disse...

Acho que a vida ainda poderá lhe trazer um grande amor. Espere.

Cozido português, que legal. O meu cozido pode virar muitas coisas, fico contente.

Escrevi sobre vc e a Mônica no meu blog, sobre NY. se não gostar do texto eu posso mudar, não sei se expus muito a vocês. Por favor me fale o que achou. Tem um recado para vcs lá.
bisou

Lisa Nunes disse...

Andrea querida,
Li o que você escreceu la na nossa querida Elisa e agora o post que ela lhe deixou, (confirmou)lembrei deste poema do Vinícios. Espero qeu goste:


"Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor."

Texto extraído do livro "Para Viver Um Grande Amor", José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1984, pág. 130.


Uma ótima semana pra você e obrigada pelas mensagens de carinho que você me deixou láh.
Um Grande abraço

Lisa Nunes disse...

tenho um mimo pra você, depois passa lah! besos